Paredes vivas


“Estou falando com as paredes.” Você pode ter dito isso, e elas podem não te ouvir. Mas um lugar pode personificar-se, passar sensações e nos trazer lembranças. A arte de passear, o mito do lugar. São detalhes, materiais ou subjetivos, que às vezes passam despercebidos.

Aguce sua percepção, e veja que uma praça tem mais do que um banquinho. Imagine ela sem as crianças brincando? Triste. Sem a sombra da árvore? Quente. Sem a estátua do herói? Sem histórias para contar. Enfim, foi esta breve descrição que nos levou ao trabalho de Análise Proxêmica II. O qual deveriamos fazer um projeto audiovisual para demonstrar essa personificação.

Eu e meu grupo (Eric Lemos, Gustavo Cucco e Vinicius Tavares) escolhemos o Mosteiro de São Bento. Logo, encontramos algumas restrições para fotografar e filmar o interior dele. Finalmente, mesmo conseguindo apenas o interior da Abadia, com o trabalho final, tornamos grande o suficiente para demonstrar toda a beleza da arquitetura e o fluxo de energia que o lugar passa.

Confira o vídeo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s